Câncer de cólon ligado a E.Coli


Cientistas da Universidade de Liverpool dizem ter identificado um tipo de bactéria E. coli, que pode incentivar o desenvolvimento de câncer de cólon.
Esta equipe de Liverpool demonstrou anteriormente que pessoas com câncer do cólon e com doenças inflamatórias do intestino, doença de Crohn e colite ulcerosa, têm um elevado número de um tipo viscoso de E. coli no seu cólon.

A equipe diz agora que a bactéria E. coli, a qual transporta os genes de PKS que codificam uma toxina que danifica o DNA nas células do revestimento do intestino, são mais comuns no cólon de pacientes que têm a doença inflamatória do intestino e câncer de cólon do que aqueles que não têm estas condições. Aproximadamente dois terços dos pacientes com câncer de cólon possuem estas E. coli, comparando com um em cada cinco dos pacientes com um cólon saudável.

Uma pesquisa recente, em colaboração com a Universidade da Carolina do Norte, mostrou que ratos com colite são mais propensos a possuir estas E. coli e que, muitas vezes, desenvolvem câncer de cólon ao possuir E. coli contendo genes PKS. Foi também verificado que a presença de E. coli contendo os genes de PKS que não pareceu aumentar a inflamação do intestino.

O Professor Jonathan Rhodes, do Instituto da Universidade de Medicina Transnacional, disse: "O fato de que as E.coli pks-positivas parecem promover câncer de cólon em ratos sem causar aumento da inflamação nos intestinos levou-os a investigar o seu possível papel no câncer de cólon humano. O aumento marcado na presença dessas bactérias no cólon, não apenas em pacientes com doença inflamatória do intestino, mas também em pacientes com câncer de cólon, que não têm a doença inflamatória do intestino, sugerem que os danos causados ao DNA, são um resultado da toxina que os genes PKS produzem, e pode promover o desenvolvimento de câncer de cólon. "

Dr. Barry Campbell, co-autor da pesquisa na Universidade de Liverpool, afirmou: "A pesquisa sugere que a E. coli tem um envolvimento muito maior no desenvolvimento de câncer de cólon do que se pensava anteriormente. É importante aproveitar essas descobertas para entender por que este tipo de bactéria, contendo os genes de PKS, está presente em algumas pessoas e em outras não. "

A equipe de Liverpool envolvidos neste estudo foi a mesma que descobriu que os agentes dietéticos, principalmente de banana e brócolis, poderiam impedir a absorção e transporte de E. coli através de células no intestino. Também foi verificado que os emulsionantes de gordura em alimentos processados encorajam o movimento das bactérias através das células.

Fonte: StoneHearth
Tradução/Adaptação: Inês Barreiros 
Revisão: Emanuel Lima Oliveira
Imagem:  Gota de Vidro
Share:

Facebook

Sobre