Nanopartículas e a nova opção para fármacos


A Universidade da Flórida Central, descobriu nanoparticulas de uma forma um pouco inesperada.
O estudante Soroush Shabahang conseguiu-as através do calor e pode estar abrindo uma nova teoria para a produção de fármacos.

Foi “sem querer” que Shabahang fez a descoberta, tentando criar fibras de vidro com calibre mais fino, ao aquecer a fibra ela se quebrou formando as minúsculas esferas.

A técnica baseia-se em calor para quebrar as fibras de fundição em gotas esféricas. Imagine água escorrendo de uma torneira. Fibras de vidro ou fibras óticas são mais conhecidas como os cabos cilíndricos que transmitem informações digitais através de longas distâncias. Os cientistas vêm procurando maneiras de melhorar a pureza das fibras de vidro para permitir uma mais rápida, e ininterrupta transmissão das ondas de luz.

Shabahang recebeu muitos elogios pela sua descoberta, pois, até hoje, a quebra de fibras sempre foi feita por via química, e não se tem noticia de outra pesquisa com o resultado que Shabahang conseguiu, tanto que sua pesquisa foi publicada na revista Nature do mês de Julho.

Aprimorando essa técnica, no futuro poderemos contar com fármacos ou materiais eficazes na sua produção e sem a utilização elevada químicos – o que, por sua vez, diminui significativamente o custo – Shabahang, sem querer, abriu um novo leque de possibilidades na área da nanotecnologia farmacológica.

Fonte: Nature e UFC.edu
Texto: Fernando Góis
Revisão: Inês Barreiros
Imagem: wellna

Share:

Facebook

Sobre