Células-tronco podem ajudar no tratamento da surdez

As células-tronco embrionárias podem ser direcionadas para formar o som de detecção de células nervosas nas orelhas internas de ratinhos surdos.

A surdez é frequentemente o resultado da perda de células nervosas especializadas chamadas células capilares e neurónios do gânglio da espiral da cóclea, a parte do ouvido interno que converte as vibrações em sinais nervosos que cérebro entende como sons. Até agora, ninguém foi capaz de substituir os dois tipos de células nervosas.

Pesquisadores da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, desenvolveram uma forma de fazer células estaminais embrionárias humanas seguir os mesmos passos que os
nervos de detecção de sons tomam durante o desenvolvimento normal. Quando transplantadas para as cócleas de roedores adultos surdos, as células humanas restauraram parcialmente a audição dos animais, anunciaram os instigadores na revista Nature.

Como essas células são criadas apenas no útero materno, não há forma de as reparar se sofrerem danos, o que resulta numa incapacidade total de ouvir. Embora os implantes ofereçam uma solução parcial para o problema, não há tratamento para os danos nos nervos auditivos, responsáveis por cerca de 10% a 15% dos casos de surdez profunda.

De acordo com o pesquisador chefe Marcelo Rivolta , o novo tratamento poderá ser uma boa solução, tendo inicialmente como alvo os danos nervosos, mas tendo também potencial para ser usado num quadro mais amplo de pacientes, quando combinado com a utilização de implantes. Os primeiros pacientes poderão vir a receber "dentro de poucos anos" estas células-tronco, com vista à recuperação da audição, concluiu o investigador

Essas células podem um dia ser usadas em combinação com implantes cocleares no tratamento da surdez em pessoas.

Fonte: stemcell e newscientist 
Tradução/adaptação: Inês Vitória Barreiros
Revisão: Emanuel Lima Oliveira

Share:

Facebook

Sobre