Interações medicamentosas mais frequentes entre os psicofármacos


Interações medicamentosas são alterações produzidas na eficácia de um fármaco através da ingestão concomitante de outro fármaco (Interação do tipo medicamento-medicamento) ou do consumo de determinado alimento (Interação do tipo alimento-medicamento).

Portanto esta interação pode reduzir a eficácia de um dos fármacos ou potencializá-lo. Todavia nem sempre as interações são maléficas, em alguns casos podem ser benéficas.

Esta pesquisa trata-se de um estudo descritivo com abordagem quantitativa, realizada no período de janeiro a fevereiro de 2011. A execução da coleta de dados foi analisando 131 prescrições médicas de pacientes
ambulatoriais.

O local da pesquisa foi no Ambulatório Integrado de Saúde Mental do Hospital Areolino de Abreu (HAA), Teresina-Piauí.

A partir do levantamento dos dados foi possível avaliar o número de associações medicamentosas presentes em cada prescrição médica e destacar, entre elas, as mais frequentes.

Na execução desta pesquisa as principais interações foram: fenitoína e fenobarbital (6%), diazepam e amitriptilina (21%).

A pesquisa permitiu constatar que as interações medicamentosas podem comprometer alguns tratamentos, sendo importante que os profissionais de saúde conheçam os riscos dessas interações para evitar problemas na terapêutica e promover uma melhor qualidade de vida aos usuários.

Assim, percebeu-se a necessidade de procurar artifícios que diminuam as chances de prejuízos devido a essas interações. Porém, apesar de observado que a substituição por fármacos mais modernos pode diminuir essas interações, se faz necessário muita cautela para realizar a substituição de medicamentos, uma vez que o conhecimento preciso em relação ao diagnóstico e ao arsenal terapêutico disponível se faz importante (Fernandes, M. A.; et al. 2012)

Fonte: Fernandes, M. A., Affonso, C. R. G., Sousa, L. E. N., Medeiros, M. G. F. Interações medicamentosas entre psicofármacos em um serviço especializado de saúde mental. Revista Interdisciplinar NOVAFAPI, Teresina. v.5, n.1, p.9-15, Jan-Fev-Mar. 2012.

Autores do resumo: Sabrina Pereira Silva, Gabriela de Moraes Soares e Luisa da Gama Franco.

Revisão: Relber A. Gonçales
Share:

Facebook

Sobre