Quorum Sensing um potencial biotecnológico


Que as bactérias comunicam entre si, já não é novidade. Chama-se a este fenômeno quorum sensing (QS), que consiste na síntese de moléculas sinalizadoras conhecidas como autoindutores. É um processo complexo que regula comportamentos microbianos importantes, tais como: competência celular, biofilme, esporulação, bioluminescência e stress.

As moléculas de sinalização envolvidas no QS regulam vários conjuntos de genes, em várias “cascatas” de sinalização. A utilização destas moléculas tem uma potencial aplicação no campo da biotecnologia, incluindo a produção de produtos bioquímicos, diagnóstico e terapêutica de doenças, medicina regenerativa
, biossensores, biocombustíveis, entre outros. Aqui seguem alguns exemplos em como o QS pode ser a chave biotecnológica para a resolução de vários problemas da sociedade.

Biosensores: Vários estudos indicam que a bioluminescência em V. fischeri faz com que estas bactérias sejam eficientes biossensores, capazes de reconhecer agregados de células cancerígenas in vivo.
Diagnóstico e terapêutica de doenças: Tem sido sugerido que sinais QS podem ser usados como marcadores para detectar a presença de bactérias patogênicas em águas e produtos alimentares. Um autoindutor identificado em P. aeruginosa pode ser um bom ponto de partida para o desenvolvimento de uma molécula sintética, homóloga a esta, para a detecção de câncer.

Biocombustíveis: Um dos obstáculos na produção de biocombustíveis é a hidrólise dos polissacarídeos para a sua forma mais simples de carbono. Este processo pode ser melhorado através de indutores que permitem ou bloqueiam a transcrição de genes que codificam para as enzimas envolvidas no processo.

Texto: Pedro Lino
Share:

Facebook

Sobre