Descoberto DNA de quatro "hélices".


A famosa “molécula da vida” que carrega o nosso código genético  é encontrada em um formato de duas “hélices”. No entanto, cientistas da Universidade de Cambridge divulgaram recentemente que encontraram um DNA de hélice quádrupla trabalhando em células humanas pela primeira vez. 

A descoberta se torna ainda mais significativa pelos pesquisadores acharem que o DNA de quatro “hélices” pode estar relacionado ao câncer, e que o controle dessa estrutura poderia proporcionar novas formas de combate à doença.

Em entrevista à BBC, o professor Shankar Balasubramanian, do Departamento de Química de Cambridge, explicou que a existência de um DNA com quatro “hélices” pode ser
ocasionada quando a célula tem determinado genótipo ou estado disfuncional. 

O cientista ainda afirmou que espera que as companhias farmacêuticas possam se interessar por tal descoberta e que todos busquem uma forma de fazer com que os DNAs de quatro “hélices” se tornem alvos terapêuticos. 

O novo formato, composto por quatro filamentos entrelaçados uns aos outros, parece ser mais comum em células que estão em processo acelerado de divisão, o que pode determinar se uma célula se tornará ou não cancerosa.

O estudo levou uma década para ficar pronto e foi publicado na mais recente edição da publicação "Nature Genetics". Em declaração ao jornal britânico "The Independent", o geneticista Shankar Balasubramanian, líder da pesquisa, disse que a estrutura quádrupla é bem distinta da dupla, mas ainda bastante desconhecida. O que o estudo revela é que a hélice quádrupla de fato existe.
O DNA de hélice dupla foi uma das maiores descobertas da ciência porque seus princípios tornaram possível a compreensão sobre como a informação genética é transmitida para gerações seguintes e controla  bioquímica do corpo. 
Moléculas de DNA contêm a informação genética necessária para fazer um ser humano e estão codificadas em uma sequência de quatro unidades químicas, abreviadas nas letras C, G, A e T, as quais formam a estrutura molecular primária dos cromossomos. Shankar e seus colegas descobriram que quando existe uma proporção alta de guanina (a letra G) na estrutura, a hélice dupla se quebra, formando sua face quádrupla.



Fontes: Nature , BBC e OGlobo

Share:

Facebook

Sobre

Blog Archive