Descoberto mecanismo cerebral que provoca envelhecimento em ratos


A atividade no hipotálamo afeta o declínio cognitivo e físico.

Um estudo divulgado nesta quarta-feira na Nature mostra que o hipotálamo, uma região do cérebro, seria responsável por controlar o envelhecimento.

Cientistas já acreditavam que o envelhecimento do corpo era "coordenado" pelo cérebro, mas não tinham provas disso, nem entendiam como o processo funcionava.

A equipe de cientistas da Albert Einstein College of Medicine em Nova York, nos Estados Unidos,  conseguiu acelerar ou retardar o envelhecimento dos ratinhos, ativando ou inibindo no hipotálamo a molécula de sinalização do cérebro NF-kB, que por sua vez afeta os níveis de um hormônio designada GnRH e ligada à produção de neurônios (as células de processamento de dados do cérebro).

Ao estimularem a NF-kB os investigadores causaram um declínio na GnRH, o que levou à diminuição da neurogênese e a sintomas de envelhecimento como o enfraquecimento muscular, atrofia da pele, perda óssea e perda de memória.

A equipe do fisiólogo Dongsheng Cai monitorou, no cérebro de ratos, a atividade da NF-kB  se torna mais ativa no hipotálamo conforme o rato fica mais velho.

"Nós oferecemos evidências científicas para o conceito de que o envelhecimento sistêmico é influenciado por um tecido particular no corpo", disse Cai.

Manipulando o hipotálamo, ele conseguiu aumentar a longevidade dos ratos em 20%. E admitiu que o mesmo tratamento pode funcionar em humanos.

Tradução/Adaptação: Fernando Góis
Source: Nature , TVI24 e DiarioABC


Share:

Facebook

Sobre