Biotecnologia emprega quase 100% dos formandos

Tecnologia da manipulação de células vem crescendo no mercado brasileiro

A biotecnologia e a biodiversidade são dois dos grandes diferenciais do Brasil na competitiva economia globalizada que vivemos. Foi pensando neste potencial que o Governo Federal solicitou em 2013 ao Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia a elaboração de um grande programa para incentivar pesquisa e produção nessas áreas.

O incentivo federal vai ao encontro de dados que já podem ser observados no País. "Graças ao trabalho da biotecnologia, o Brasil economiza R$ 14 milhões no uso de fertilizantes nitrogenados", afirma a pesquisadora da Embrapa Soja de Londrina, Mariângela Hungria.



A biotecnologia trabalha com a manipulação de células, aplicando conhecimentos químicos, biológicos e de novas tecnologias em áreas como a saúde, de alimentos, a química e a ambiental. A biotecnologia se faz presente na produção de biocombustíveis (bioetanol e biodiesel), de medicamentos (vacinas e kits de diagnósticos), de alimentos (como laticínios, cerveja e vinho), de melhoramento genético animal e vegetal, na conservação do meio ambiente e de espécies, e na produção de cosméticos.

"A biotecnologia também traz contribuições para a sociedade, de forma geral, porque o menor uso de fertilizantes acarreta em economia para o agricultor e menos poluição do solo, da água, do ar e do próprio alimento", complementa Mariângela Hungria. "É uma tecnologia ecologicamente correta."

Segundo a pesquisadora, em função do crescimento do mercado, a oferta de vagas para profissionais da área está crescendo fortemente. "A procura por profissionais especializados é grande; 95% dos alunos de pós-graduação em biotecnologia na Universidade Estadual de Londrina (UEL) estão empregados", ela comenta.

Companheira de Mariângela na Embrapa, Rebeca Fuzinatto Dall'Agnol, se formou em Ciências Biológicas e é umas das doutorandas em Biotecnologia pela UEL. "A biotecnologia é uma área multidisciplinar. O leque de opções é maior porque engloba três grandes áreas: microbiologia, biomolecular e bioquímica", explica Rebeca. "A biotecnologia está crescendo muito e está presente em diversas áreas. Gosto de estudá-la e fico feliz em saber que os profissionais do ramo estão sendo bastante requisitados."

Reprodução: Agência UEL
Share:

Facebook

Sobre