"Nariz artificial" identifica ameaça de envenenamento do sangue e infecção generalizada em cirurgias

Um "nariz artificial" capaz de detectar o odor de germes que produzem o envenenamento do sangue e que poderia ajudar a salvar muitas vidas e reduzir custos médicos foi apresentado no domingo em uma conferência nos Estados Unidos.

Os cientistas que desenvolveram este nariz afirmam que pode mostrar em 24 horas se o sangue de um paciente tem a bactéria que causa septicemia (condição que leva a infecção generalizada), e ganhar desta forma dois dias em comparação com outros métodos convencionais.

 A atual tecnologia envolve incubar amostras de sangue em recipientes por 24 a 48 horas apenas para ver se a bactéria está presente – afirmou James Carey, pesquisador da Universidade Nacional de Kaohsiung em Taiwan. – Leva outras 24 horas ou mais para identificar o tipo de bactéria para selecionar o antibiótico adequado para tratar o paciente. Nesse momento, os órgãos do paciente podem estar prejudicados ou (o paciente) pode estar morto por septicemia.


Apresentado em uma conferência em Indianápolis da American Chemical Society, o "nariz" é, na realidade, uma garrafa de plástico do tamanho da palma da mão cheia de um líquido nutriente que promove o crescimento da bactéria.

Juntos no interior da garrafa se encontram diversos pontos químicos que mudam de cor em reação aos odores que saem da bactéria delatora.

O novo dispositivo pode identificar oito das bactérias mais comuns que causam doenças, afirmou Carey em uma nota divulgada pela American Chemical Society.

O envenenamento do sangue ou septicemia mata mais de 250 mil pessoas a cada ano apenas nos Estados Unidos e custa em tratamentos mais de 20 bilhões de dólares anualmente, segundo números divulgados na conferência.

O dispositivo pode "ser utilizado quase em qualquer local do mundo por um custo muito baixo e com formação mínima", afirmou Carey.

Reprodução: AFP
Share:

Facebook

Sobre